Top Nav

Fadas Ibéricas - Mouras Encantadas

fev. 20, 2023 0 comments

Das lendas e mitos na Península Ibérica, os que mencionam Mouras Encantadas são os que mais nos movem, com as suas ondas de mistério e amor. 

É exatamente por existirem tantas versões orais destas histórias que é difícil dizer ao certo o que é uma Moura Encantada e como podemos interagir com elas espiritualmente. Sabemos que serão seres mágicos femininos, e dentro da divisão que propusemos no artigo sobre Fadas Ibéricas, podemos colocar Mouras Encantadas dentro das Fadas que sofrem com o destino, ou seja, estão a cumprir um fadário. 

Mouras a mais

O que torna a natureza da Moura tão dispersa, é que a palavra "moura" terá sido utilizada em Portugal para se referir a todos os seres mágicos femininos. Temos então, de dividir as próprias Mouras, e renomear algumas. Primeiro, sendo que estamos a utilizar o termo Fada ou Ser Mágico para falar de criaturas populares no geral, vamos descartar o termo Moura como sinónimo de Fada (sem descartar o seu valor na cultura popular). 

Temos ainda a confusão do termo Moura/Mouro ser também utilizado para descrever o povo muçulmano na Península Ibérica a partir do século VIII. O livro Mitologia Popular Portuguesa, de Alexandre Parafita faz esta separação do "mouro mítico" e "mouro histórico" em que explica haver diferença da Moura que é uma espécie de ninfa sedutora na mitologia portuguesa, e as histórias de princesas mouras, que não seriam referentes às anteriores. Por ser necessária esta separação, muitos preferem o termo "Moira" para separar a criatura mágica do termo étnico. No entanto, é relevante que na própria mitologia ibérica, a Moura mítica e histórica misturam-se, dando novas qualidades tanto a uma quanto a outra. Neste artigo, falaremos sobre esta "moura mítica" que se assemelha na sua natureza às ninfas gregas. 

As divisões de Mouras não terminam aí. Mouras Encantadas podem ter diferentes encantos, e temos na nossa mitologia também criaturas chamadas de Mouras Fiadeiras e Mouras Lavadeiras. Estas duas serão abordadas num artigo separado, devido à sua mitologia se sobrepor à das criaturas Lavadeiras e Janas, sendo por isso que descartamos também a sua denominação de Mouras para afunilar a nossa caracterização da Moura Encantada. 

O Encanto (e desencanto)

A palavra "moura" poderá ter várias origens. Pode vir da palavra celta para "morte" ou "espírito" ou da palavra grega para "destino" origem esta que partilhariam com as Moiras, as três mulheres fiadeiras que controlam o destino na mitologia grega. De qualquer forma, a sua origem será pagã e pré-romana. Mouras são espíritos femininos que foram encantados, ou amaldiçoados, tendo de cumprir um fadário que lhes dá qualidades mágicas. Este encanto é geralmente colocado nelas pelos próprios pais, que as amaldiçoam ou matam, ou por amados - regra geral, um espírito que seja rejeitado violentamente por alguém que deveria amá-lo, torna-se numa Moura Encantada. O seu encanto torna-as incrivelmente belas e sedutoras, atraindo viajantes à pedra ou fonte a que estão presas. Muitos monumentos pré-romanos são pedras que contém estas Mouras, sendo um dos mais famosos a Moura de Pena Furada, que tem uma gravura de uma figura feminina. É possível que, antes de estas pedras serem de Mouras, fossem pedras a divindades pagãs ou criaturas mágicas sob o seu controlo. 

Cruzando as lendas de Mouras Encantadas também podemos identificar como característica mágica o seu choro ou canto - uma característica curiosa quando levamos em conta a música ibérica se assemelhar a um choro também. Este choro será, como a sua beleza, para atrair viajantes. Algumas terão também a capacidade de se transformar numa cobra ou mulher-cobra aterradora e perigosa. A última característica da qual partilham as Mouras Encantadas é o seu tesouro. Este tesouro varia em quantidade, mas é sempre valioso e de ouro. A única forma de o obter, é ajudando a Moura Encantada a cumprir o seu fadário - ou seja, libertando o seu espírito da pedra ou fonte. 

A forma de "desencantar" uma Moura Encantada varia de história em história. Pode ser uma oferta, palavra, ou ação - sempre pedida pela Fada em questão. A ação em si deve ser executada na perfeição e com completa confiança na Moura Encantada, pois se for falhada ou feita a medo, o encanto será duplicado - ou pior, passado para a pessoa que falhou. Alguns exemplos de formas de desencantar uma Moura Encantada são:

  • Oferecer pão, mel, sal ou leite;
  • Levar um objeto misterioso por um caminho sem ceder à curiosidade de o ver (para os curiosos, este objeto nas lendas nunca é o ouro da Moura, mas sim carvão ou figos);
  • Dar um beijo (supostamente com amor);
  • Limpar a pedra da Moura;
  • Pronunciar uma frase que liberta a Moura ou o nome da mesma;
Ao conseguir desencantar a Moura Encantada, esta é livre, o seu destino variando - por vezes finalmente passa para o outro lado, deixando de ser um ser mágico, outras torna-se uma pessoa mortal de novo. A pessoa que a desencantou ganhará o seu tesouro, e, se estiver apaixonado pela Moura, o seu amor. 

Magia com Mouras Encantadas

Como incorporar Mouras Encantadas na nossa prática espiritual ou pagã? Sendo estas fadas um espírito de alguém que foi outrora mortal, devemos respeitá-las como se respeita qualquer morto - aliás, não é coincidência que muitas das formas de libertar uma Moura Encantada são ações que normalmente tomamos para honrar os mortos. Podemos também afinar a nossa intuição para encontrar Mouras Encantadas (para isso recomendo os exercícios de identificação de Fadas do livro Urban Faery Magick) tentar saber a sua história e mostrar respeito para com elas, podendo até pedir a sua ajuda em magia ou situações que envolvam sentimentos, amor, tristeza e morte. 

É também relevante para a prática mágica os elementos associados a esta Fada. Como esta está ligada a fontes e rochedos, podemos considerar os elementos Água e Terra - algo reforçado com a conexão deste ser mágico aos sentimentos e ao ouro. Podemos então chamar pelas Mouras Encantadas quando trabalhamos com qualquer destes elementos, para assim nos ajudarem nesse trabalho.

No paganismo, especificamente paganismo lusitano, temos uma conexão interessante. Sendo que as Mouras terão origem pre-romana, deixa a questão se estariam ligadas a alguma divindade lusitana ou celta. Encontramos conexão exatamente no monumento da Moura da Pena Furada - que poderia ser uma inscrição a Nabia antes de ser tratada popularmente como uma pedra de Moura. Esta conexão entre Nabia e Mouras torna-se mais interessante quando consideramos que Nabia também teria ligação a fontes, e como Deusa da família, poderia ter algo a ver com a origem das Mouras como amaldiçoadas pelos pais - talvez as Mouras fossem até suas filhas, como ninfas. Claro, é impossível dizer com certeza se seria o caso, como tudo na mitologia lusitana, mas há espaço para inclusão das mesmas numa prática pagã lusitana. 

Por fim, uma das minhas formas favoritas de incluir seres mágicos na minha prática, seja de paganismo ou bruxaria, é a meditação. Acabamos então com uma pequena meditação com as Mouras Encantadas. Esta meditação faz-se melhor perto de um riacho ou rochedos, mas também pode ser feito no conforto da nossa casa se tal for impossível:

Fecha os olhos. Inspira. Sente o chão debaixo de ti, a sua textura, o seu cheiro. Expira. Sente agora uma poça a formar-se nesse chão. Deixa-te cair na sua profundidade, sem suster a respiração. Apenas continua a inspirar e expirar. Sente-te ficar mais leve. A água à tua volta, refrescante. Deixa-te pensar o que queiras neste momento, deitando todos os pensamentos sobre a água até a tua mente ficar vazia. Fica o tempo de precisares assim. Quando estiveres preparado, abre os olhos da tua mente. Vê um caminho molhado adiante, um pequeno curso de água na terra a teus pés. Segue esse caminho. Dá cada passo ao teu ritmo, sempre a olhar em frente. Este espaço é seguro. Confia no caminho à tua frente, sem olhar para trás ou duvidar dos teus passos. Vai devagar, não é uma corrida. Sente a terra molhada a cada passo que dás. 

Quando chegares ao fim do caminho, continua a olhar em frente. Lá, está uma mulher bela -  a mais bela que já viste, com cabelos que te trazem paz, olhar cheio de bondade. Toma nota do aspeto desta mulher. Ela canta uma canção enquanto penteia os seus cabelos com um pente de ouro, levemente encostada a uma pedra que brilha ao sol. A canção é triste, melancólica. Senta-te à tua frente a ouvir. Canta também se o teu coração te levar a fazê-lo. Fica o tempo que for preciso nesta canção com a Moura Encantada. 

Quando esta terminar e olhar para ti, apresenta-te com o teu nome espiritual. Faz uma pequena vénia em respeito da Moura. A Moura irá apresentar-se também, e talvez te contará a sua história. Toma nota do que ela diz. Quando esta acabar, podes fazer as perguntas que quiseres. Fica o tempo que for preciso para as tuas dúvidas cessarem. 

Se sentires a corrente de água a parar de correr nos teus pés, é hora de voltar ao teu corpo. Despede-te educadamente. Fecha os olhos da tua mente. Sente a corrente acumular-se debaixo de ti, a formar uma poça. Como no início, deixa-te cair sem medo. De volta ao teu corpo, move cada membro lentamente - mãos, braços, pés, pernas. Podes ficar ainda a inspirar e expirar com os olhos fechados se precisares. Quando estiveres pronto, abre os olhos. 

@probablysininho Respondendo a @feanorperdido Este vídeo: Moura Encantada | Próximo vídeo: Lobisomem 💃✨ #mitologia #mitologiaportuguesa #pagantok #paganismo #fadasibéricas ♬ Witch Familiar (Classical) [Classic](143628) - dice

Comentários

Related Posts

{{posts[0].title}}

{{posts[0].date}} {{posts[0].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[1].title}}

{{posts[1].date}} {{posts[1].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[2].title}}

{{posts[2].date}} {{posts[2].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[3].title}}

{{posts[3].date}} {{posts[3].commentsNum}} {{messages_comments}}

Comentários

Formulário de Contacto